sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

Falando de sandboard...

Por Bruno Nunes e Matheus Rateke.

Autores:
Bruno Édio Nunes:
*Graduando em Educação Física Bacharelado pela Universidade Federal de Santa Catarina - UFSC.
Instrutor de Sandboard.
Tetra-campeão Catarinense de Sandboard (2000, 2001, 2002, 2007).
5º colocado no Ranking Latino-Americano de Snowboard Slope Style de acordo com a 5ª lista FIS da temporada 2009-2010.
Bruno Édio Nunes (foto) é um dos melhores atletas da história do sandboard e snowboard catarinense. Seus aéreos com 360° e outras manobras de giro são explosivos.


Matheus dos Santos Rateke:
**Graduado em Educação Física pela Universidade do Sul de Santa Catarina, UNISUL.
Diretor da comissão Técnica ACESSB. (Atualmente Matheus é Presidente da ACESSB). Atualizado em 09/12/2011.
Tri - campeão Catarinense de Sandboard (2001, 2006, 2008).
Matheus Rateke (Teta) é destaque no sandboard catarinense.

Fonte:
http://www.efdeportes.com/efd150/o-sandboard-em-santa-catarina-brasil.htm


Na sociedade atual a ligação entre as circunstâncias que cercam e esclarecem o fato da contribuição de uma definição sobre o histórico da modalidade Sandboard hoje é indispensável. O panorama atual do sandboard no Estado nos permite a pratica do esporte em praticamente todo seu litoral e também do brasileiro – tão rico em depósitos eólicos na forma de duna – não há dúvida, portanto, da oportunidade dada para a divulgação do sandboard, de seu meio ambiente e da sua relação com as pessoas e o público. Existem ainda muitas discussões sobre a verdadeira origem do Sandboard e sobre quem seria seu verdadeiro “pai”, neste caso a literatura revela que o esporte decorreu de uma evolução natural do já praticado Snowboard. A ACESSB (Associação Culural Esportiva de Sand&Snow Board) foi fundada em 2005 na cidade de Florianópolis-SC pelo sócio fundador e atleta José Eduardo Wentz Neto, como entidade filantrópica - sem fins lucrativos - buscando uma perfeita ação comum entre os associados de qualquer organização cultural, social e esportiva, visando o comprometimento do esporte com os atletas e a comunidade. E, desde então, vem junto à organização de todos os eventos e projetos vinculados ao sandboard. O estudo em questão pode realizar um levantamento dos atletas brasileiros de maior destaque no contexto competitivo atual de 2009 no sandboard, que moram e praticam o Esporte em Florianópolis, através do acesso aos arquivos de inscrições dos campeonatos organizados pela ACESSB. Dentre as principais competições da modalidade estão: Campeonato Mundial de Sandboard (Alemanha), Campeonato Sul americano Sandboard (Chile e Perú) e no Brasil campeonatos regionais (Florianópolis, Garopaba, Ceará, entre outros). A ACESSB promove paralelamente as suas atividades os eventos chamados Circuito Catarinense de Sandboard Tour e Copa Brasil de Sandboard, futuramente com os projetos em fase de finalização do Campeonato Mundial e Internacional já em andamento.

1. Introdução

A compreensão obtida após este estudo, nos da à visão da contribuição que pode ser deixada pelo mesmo, por exemplo, no respeito pelo meio ambienta local, visualização do esporte pela sociedade através da mídia em geral e o início da estrutura construída para atletas, composta por uma organização mais qualificada e com uma equipe de profissionais mais experientes na área.

Outro fator de importância fundamental são as colaborações nos processos organizacionais no qual a participação de inúmeras entidades que estão presentes no projeto pela necessidade de seus serviços, demonstrando a falta de recursos presentes na entidade organizadora ACESSB, concluindo ser necessária uma estrutura financeira mais elaborada para a ACESSB, visando uma situação economicamente ideal.

Na sociedade atual a ligação entre as circunstâncias que cercam e esclarecem o fato da contribuição de uma definição sobre o histórico da modalidade Sandboard hoje é indispensável.

Entretanto, no contexto do esporte este suporte ainda tem recebido um baixo percentual de importância, representando um número grande de instituições que têm a tarefa futura de se atualizarem e planejar seus métodos de trabalho com maior sucesso.

Então, os benefícios que uma elaboração de um histórico pode trazer para os momentos preparatórios, operacionais e posteriores servem como exemplo para justificar sua finalidade, no sucesso do planejamento e gerenciamento dos processos de trabalho tanto nas instituições quanto no treinamento específico para atletas.

Também as ferramentas da gestão aplicada ao Esporte ajudam a compreender os objetivos como o planejamento, a organização, a direção, o controle e o desenvolvimento, pois esta compreensão que configura a ela portar tal significado perante o desempenho obtido, nas mais variadas modalidades pelo mundo a fora.

Podemos verificar que segundo OLIVEIRA (p. 42, 1999), os componentes mais utilizados durante o planejamento estratégico são as responsáveis pelas mudanças e aperfeiçoamento na área a ser desempenhada as funções de trabalho.

Na idéia citada anteriormente podemos ver a ligação do estudo teórico com as ações na pratica, pois correspondem às características nas quais iremos adaptar ou renovar, visando obter o máximo de economia para termos como produto do trabalho mais desempenho e qualidade.

Atualmente no contexto dos esportes de pranchas, neste caso especificamente o sandboard, ele é o quarto esporte mais praticado nesta grande família dos esportes radicais e em novembro de 2004, o Projeto de Lei nº 283/04, de autoria do deputado Onofre Agostini, reconhece oficialmente Florianópolis é “Capital Catarinense do sandboard”.

Assim sendo, no Projeto de Lei citado anteriormente podemos ver claramente a ponte do mercado turístico, esportivo, social e meio ambiente em Florianópolis, pois corresponde às características que giram em torno do sandboard e de sua capital, portanto, o tornando uma ótima ferramenta para o desenvolvimento de futuros projetos nesta área e manutenção dos projetos já existentes.

Em resumo, o panorama atual do sandboard no Estado nos permite a pratica do esporte em praticamente todo seu litoral e também do brasileiro – tão rico em depósitos eólicos na forma de duna (dunas) – não há dúvida, portanto, da oportunidade dada para a divulgação do sandboard, de seu meio ambiente e da sua relação com as pessoas e o público.

O assunto em questão se mostra pioneiro na área de estudo, pois trata de um esporte original e desenvolvido em Florianópolis, Santa Catarina podendo contribuir no futuro cataloga mento de informações e registros de matérias de jornais, revistas e sites da internet, e também contribuir na elaboração de estratégias para periodização de um calendário de eventos fixos para o Sandboard no contexto competitivo dos atletas e praticantes da modalidade.

2. Histórico da modalidade
2.1. História do Sandboard

Existem ainda muitas discussões sobre a verdadeira origem do Sandboard (descer ou deslizar com uma prancha fixa aos pés a areia ou as dunas) e sobre quem seria seu verdadeiro “pai”, neste caso a literatura revela que o esporte decorreu de uma evolução natural do já praticado Snowboard (descer ou deslizar com uma prancha fixa aos pés a neve ou montanha).

O Sandboard é um esporte equivalente ao Snowboard, só que é praticado na areia, que geralmente são encontradas na praia, onde é usada uma prancha de madeira, fibra de vidro ou fibra de carbono. Os praticantes deste esporte, ou sandboarders, descem as dunas fazendo manobras acrobáticas e dando saltos em rampas (Sandboard, disponível em: www.sandtimes.xpg.com.br).

Segundo José Eduardo Wentz Neto (presidente da Associação Cultural Esportiva de Sand & Snow Board – ACESSB), o Esporte teve seu surgimento primeiramente na região sul do Brasil, na Ilha de Santa Catarina - Florianópolis, no final da década de 80, trazido pela família gaúcha, os idealizadores no Sandboard da família Lazarette são os personagens pioneiros nesta área a desenvolverem as competições, modalidades, marcas e atletas.

Atualmente, são vendidas mais de três mil pranchas por ano. Os turistas que visitam o litoral brasileiro voltam para as suas cidades levando consigo as pranchas de Sandboard e, automaticamente, fazem a divulgação do esporte.

A Praia da Joaquina é o “Point”, onde mais se pratica o Sandboard em Santa Catarina. As dunas da Joaquina estão localizadas no leste da Ilha de Florianópolis, a 300 metros da praia. Elas são lindas e chamativas por suas areias brancas e possuem vegetação permanente. É um verdadeiro cartão postal da cidade, vistas no mundo todo. Foram nessas dunas que surgiram os melhores atletas de Sandboard, que foram considerados os melhores do mundo pelo D.R.I. - Dune Riders Internacional. (Sandboard, disponível em: www.sandboard.com ou www.sandboard.cl)

O sandboard é praticado em todas as partes do mundo e tem ganhado um impulso gigantesco ao ponto de ter campeonatos mundialmente conhecidos, como é o caso da Alemanha (Monte Kaolino). E em todo o mundo observam-se campeonatos e apresentações, movimentando uma indústria que, lá fora, já domina a técnica de fabricação de pranchas, devido à experiência da tecnologia desenvolvida para o Snowboard, fazendo Sandboard praticamente inquebráveis.

A praia da Joaquina é conhecida internacionalmente. É a sede dos mais importantes campeonatos realizados no Brasil, A velha “Joaca” dispensa maiores apresentações. No local há um amplo estacionamento e um terminal turístico com restaurantes, banheiros e duchas. A descida mais famosa das dunas da Joaquina é chamada WAIMEA, lembrando a maior onda do HAWAII. (Sandboard, disponível em: www.acessb.bolgspot.com )

Também em Florianópolis funciona a sede da Associação Cultural e Esportiva Sand&Snow Board - ACESSB, entidade responsável pelo esporte no estado de Santa Catarina.

A ACESSB procura desenvolver o esporte idealizando eventos como campeonatos, ministrando aulas com a escola Sandboard Mister School e tem como base a promoção de projetos sociais.

Dá apoio e assistência aos atletas, planejando viagens nacionais e internacionais para aqueles que já estão capacitados pela entidade e que já possuem alto nível de competição, para representar não somente a entidade, mas também seu país. E dessa forma promover o esporte Sandboard no Brasil.

2.2. Evolução do Sandboard
2.2.1. Organização da entidade

ACESSB foi fundada em 2005 na cidade de Florianópolis-SC pelo sócio fundador e atleta José Eduardo Wentz Neto, como entidade filantrópica - sem fins lucrativos - buscando uma perfeita ação comum entre os associados de qualquer organização cultural, social e esportiva, visando o comprometimento do esporte com os atletas e a comunidade. E, desde então, vem junto à organização de todos os eventos e projetos vinculados ao sandboard.

Além de promover atividades sociais, culturais, esportivas em prol da comunidade e associados pela necessidade de resgatar a imagem deste esporte que tanto consagrou. Logo, Florianópolis foi decretada oficialmente a “capital estadual do sandboard”, pelo governado Luis Henrique da Silveira (Esporte tem federação e atletas profissionais, Jornal Gazeta do Povo, 27 /02/ 2009).

Hoje podemos dizer que, graças a esta entidade, o sandboard é um esporte de grande potencial e muito influenciado pelos outros esportes similares, de onde foram inspiradas as maiorias das manobras.

A ACESSB tem o objetivo fiel de trabalhar a favor do desenvolvimento do esporte. É constituída por um número de associados, sem distinção de nacionalidade, religião ou raça. Não podendo implantar o esporte apenas como habilidade física e criativa, mas, principalmente usá-lo como instrumento de auxílio, cultural e social. Zelar pela melhoria das condições do esporte, cultura, saúde e lazer. Não só na prática do Sandboard e Snowboard, como também de outras modalidades esportivas e atividades culturais.

É imprescindível que todo atleta menor de idade que seja desta entidade esteja matriculado e estudando em uma instituição de ensino escolar, devendo ser analisado seu histórico escolar, se necessários for, pela diretoria da ACESSB, pra que não haja prejuízo nos estudos do mesmo quando do ingresso na associação.

A ACESSB se compromete em buscar patrocínios junto aos projetos assim realizados e também, reconhecimento dos atletas catarinense, tendo registros de ranking, enfim, toda a assessoria necessária.

Sua maior deficiência e objetivo é encontrar um patrocínio que tenha a cara de seus projetos, para que possa honrar o compromisso com os próprios atletas e poder cumprir com o calendário e futuros projetos. Daí a necessidade de dar continuidade ao trabalho desta entidade, uma forte organização e bons patrocinadores. A justificativa para o desenvolvimento do esporte é o crescimento de todos os seguimentos ligados aos esportes radicais.

2.3. Atualidades
2.3.1. Acrobacias

O sandboarder Alexandre Teixeira, 26 anos, que trabalha como instrutor nas dunas da Joaquina dá algumas dicas para tornar a descida mais prazerosa. A primeira recomendação diz respeito à posição dos pés na prancha, chamada de base. “Geralmente o pé ‘mais forte’ fica atrás, para controlar os movimentos da prancha”. Também é importante fazer um leve movimento de flexão com as pernas e abrir os braços durante a descida, o que garante mais equilíbrio ao praticante.

Para que a descida seja suave, sem atritos com a areia, os atletas costumam riscar o fundo da prancha com vela ou grafite. Eles também são criteriosos na escolha do melhor momento para praticar a atividade. “O ideal é um dia de sol, no fim da tarde, e sem vento”, afirma Teixeira. (Esporte tem federação e atletas profissionais, Jornal Gazeta do Povo, 27 /02/ 2009)

2.3.2. Atletas
O estudo em questão pode realizar um levantamento dos atletas brasileiros de maior destaque no contexto competitivo atual de 2009 no sandboard, que moram e praticam o Esporte em Florianópolis, através do acesso aos arquivos de inscrições dos campeonatos organizados pela ACESSB sendo eles: Digiácomo Dias (tri-campeão mundial), Cristiam Ramires (campeão sul-americano), Eduardo Mesquita (campeão sul-americano), José Eduardo (campeão sul-americano), Guilherme vieira (campeão sul-americano), Bruno Nunes (campeão sul-americano de Sandboard e Snowboard).

2.3.3. Eventos
Dentre as principais competições da modalidade estão: “Xgames” (mundial de snowboard), Olimpíadas de inverno Europeu (Mundial de snowboard), Campeonato Mundial de Sandboard (Alemanha), Campeonato Sul americano Sand&Snow Board (Chile) e no Brasil campeonatos regionais (Florianópolis, Garopaba, Ceará entre outros) (Sandboard, Diário Catarinense, 7 de setembro de 2008).

Estes eventos podem se classificados de varias formas e podemos citar as mais importantes: Big Air: Nessa modalidade de saltos com manobras, o campeão é aquele que conseguir da a manobra mais radical, Slope Style: Essa modalidade, semelhante ao street do skate, vence aquele que se sair melhor no percurso com rampas e corrimões, Boardercross: É uma corrida entre quatro atletas em um percurso com obstáculos, rampas e curvas fechadas. Vence aquele que chegar primeiro e o Slalom: É uma descida de velocidade, com o percurso marcado por bandeirinhas que devem ser contornadas (Eles querem crescer ainda mais, A Notícia – NA.esporte, 07 de setembro de 2008).

3. Caracterização da organização - ACESSB
A ACESSB, com sede na Estrada Geral da Costa da Lagoa, n° 135, ponto 15, Lagoa da Conceição, fundada em 2005, é uma associação sem fins econômicos, com o fim exclusivo de servir desinteressadamente à coletividade, constituída por número limitado de associados, sem distinção de nacionalidade, religião ou raça, residente ou domiciliada na grande Florianópolis.

O local de trabalho conta com a estrutura de uma sala para realização das atividades, banheiro, estacionamento, sala de vídeo/TV.

Tendo como profissionais atuando em seus estabelecimentos e componentes da Assembléia Geral (órgão soberano e deliberativo), Conselho Fiscal (órgão de fiscalização) e Diretoria Executiva (órgão administrativo): José Eduardo Wentz Neto (Presidente – Técnico), Iria Zulmira (Tesoureira), Juliana Aline Costa Bento (Relações Públicas), Dra. Joana Lunardi Moraes Branco (Apoio Fisioterapia), Prof.ª Sandra Aparecida Nogueira (Responsabilidade Técnica), Matheus dos S. Rateke e Bruno Nunes (Diretores da Comissão Técnica).

Dentre os objetivos da organização segundo estatuto modificado em 18/04/2007 e devidamente arquivado no Ofício sob n° 16713, às fis 233, do Livro A-68, estão: Art.2 – A Associação tem por objetivo:

Incentivar e cultivar a mais ampla cultura do esporte Sandboard e Snowboard e demais áreas culturais e sociais, buscando uma perfeita ação comum os associados de qualquer organização cultural, social e esportiva.

Promover atividades sociais, culturais, esportivas e filantrópicas em prol da comunidade e associados.

Zelar pela melhoria das condições do esporte, cultura, saúde e lazer, não só na prática do Sandboard e Snowboard, como também de outras modalidades esportivas e atividades culturais.

Firmar convênios com associações congêneres, autarquias, entidades religiosas, federais, estaduais, municipais e outras.

Promover e assistir, primeiramente, as pessoas que queiram praticar o Sandboard e o Snowboard e outras modalidades similares.

Desenvolver, orientar e difundir a prática do Sandboard e Snowboard.

Organizar, dirigir e fiscalizar, no Estado de Santa Catarina, campeonatos e torneios de Sandboard e Snowboard promovidos por esta associação de acordo com as regras estabelecidas pelo conselho desta Associação.

Zelar pela aplicação das leis e determinações emanadas do Ministério da Educação e do Conselho Nacional de Desportos, bem como, fazer cumprir as regras e preceitos da Associação e as modificações que nelas venham a ser introduzida.

Receber subversões sociais de âmbito Federal, Estadual e Municipal e doações, a fim de serem aplicados no patrocínio de seus atletas, manutenção da Associação e eventualmente, nas ações sociais e culturais da associação.

A ACESSB promove paralelamente as suas atividades os eventos chamados Circuito Catarinense de Sandboard Tour e Copa Brasil de Sandboard, futuramente com os projetos em fase de finalização do Campeonato Mundial e Internacional já em andamento.

A associação tem como fonte de recursos, subversões de âmbito municipal, estadual e federal, eventual doações de pessoas físicas ou jurídicas. Também pode receber doações de bens móveis, imóveis e bens duráveis ou não, uma vez que mesma não possui fontes de recursos próprios como mensalidades e outros semelhantes.

Referências

ARAUJO, L. C. G. Organização, Sistemas e Métodos e as Modernas Ferramentas de Gestão Organizacional: arquitetura, benchmarking, empowerment, gestão pela qualidade total, reengenharia. Editora: Atlas; São Paulo, p. 25-155, 2001.

FEDERAÇÃO CATARINENSE DE SANDBOARD. Brasil. Disponível em: http://www.acessb.blogspot.com. Acesso em: 22 de setembro de 2008.

Jornal A Notícia. Eles querem crescer ainda mais. Florianópolis, 07/09/2008.

Jornal Gazeta do Povo. Esporte tem federação e atletas profissionais. Florianópolis, 27 /02/ 2009.

OLIVEIRA, A. E.; PINTO, A. e SARMENTO, J. P. O perfil organizacional e funcional do gestor desportivo em Portugal. Revista brasileira Educação Física e Esporte, São Paulo, v.20, p.153-55, set. 2006.

OLIVEIRA, D. P. R. Excelência na Administração Estratégica: a competitividade para administrar o futuro das empresas. Editora: Atlas; São Paulo, p.42-102, 1995.

PIRES, G.; SARMENTO, J P. Conceito de gestão de desporto: novos desafios, diferentes soluções. Revista Portuguesa de Ciências do Desporto, v.1, n. 1, p. 88-103, 2001.

ROCHA, L. O. L. Organização e métodos: uma abordagem prática. Editora: Atlas; São Paulo, p. 30-54, 1994.

ROCHE, F. P. La planificación estratégica en las organizaciones deportivas. Editora: Paidotribo; Barcelona, p. 35-72, 2004.

Sandboard. Disponível em: www.sandtimes.xpg.com.br. Acesso em: 10 de setembro de 2010.

Sandboard. Disponível em: www.sandboard.com. Acesso em: 19 de setembro de 2010

Sandboard. Disponível em: www.acessb.blogspot.com. Acesso em: 19 de setembro de 2010

Pesquisar este blog. Está perquisando sobre sandboard? Que bom ver você por aqui!

thiago espindola sandboard

Loading...

Espindola.net.br - Bem vindo ao maior conteúdo sobre sandboard!

Total de visualizações de página